Alerta para vacina
contra Febre Amarela

A Sociedade de Reumatologia do Espírito Santo (Sores) alerta os doentes reumáticos: pacientes reumatológicos em uso de medicação imunossupressora não podem usar a vacina para Febre Amarela.

O alerta é da presidente da Sores, Dra. Aline Fraga.  “Caso o paciente more ou não possa evitar uma viagem para as áreas endêmicas, ele deve procurar o reumatologista para avaliar o risco e o benefício de usar a vacina”.

Essa vacina é do tipo “vírus atenuado” e não pode ser tomada por todas as pessoas que tem algum tipo de doença reumática.

A doença é transmitida pelo mosquito da espécie do Haemagogus e o Sabethes. Recentemente foram registrados casos de Febre Amarela em Minas Gerais e em São Paulo. Embora no Espírito Santo tenham sido encontrados macacos mortos por essa doença, o Estado ainda não é considerado área endêmica pelo Ministério da Saúde.


Conservação de energia

A energia do nosso corpo deve ser utilizada de maneira equilibrada, ao longo do dia, para que se mantenha o vigor necessário ao cumprimento do mínimo de tarefas. Assim, são evitadas lesões e dores decorrentes dos excessos de movimentos, das posturas inadequadas, da falta de uma sequência lógica das tarefas e de má distribuição das atividades. A energia do corpo varia com a atividade da doença. O objetivo principal da conservação de energia é: “não mudar o que se faz, mas o modo de fazer”.  

 

Conservação de energia é o conjunto de estratégias que visam à execução dos movimentos em várias atividades de vida diária, práticas e do trabalho, com o menor gasto energético possível – bem como a distribuição adequada deste gasto ao longo do dia, através da organização e planejamento sequencial dos diversos afazeres – evitando a fadiga e proporcionando melhor realização e desempenho nas tarefas.

 

As técnicas de conservação de energia incluem:

  • Eliminar posturas e atividades nocivas.
  • Planejar, reorganizar e priorizar tarefas. Simplificar o trabalho.
  • Distribuir tarefas pesadas durante a semana.
  • Intercalar períodos de descanso com as atividades durante o dia.
  • Intercalar exercícios/tarefas e repouso.

Exercício físico

O exercício físico é recomendado a todas as pessoas para uma vida saudável e ativa. E é capaz de promover a saúde em vários aspectos:

Melhora o controle metabólico (taxas de açúcar e gorduras), diminui o risco de infarto, melhora o sono e o humor e diminui dor. Os pacientes com doenças reumáticas também podem e devem realizar exercícios para a prevenção de novos episódios dolorosos agudos, para tratamento global e, principalmente, para promover o bem estar e melhora da qualidade de vida.

O tratamento por exercícios deve ser planejado e adaptado à situação de cada paciente. Nunca devem provocar ou aumentar a dor. Para iniciar a atividade física deve-se considerar se há outras doenças associadas ao reumatismo, principalmente aquelas que afetam os pulmões e o coração, deve-se saber se o reumatismo está “em atividade”, qual a intensidade da doença, quais as incapacidades funcionais e as atividades de vida diária.

Após uma cuidadosa avaliação física e liberação do médico, todos podem participar de um programa de reabilitação individual ou em grupo. Os exercícios são propostos dependendo do objetivo que se quer alcançar: diminuir a dor, reduzir o inchaço, prevenir deformidades articulares e ganhar flexibilidade, força muscular, aptidão cardiorrespiratória, equilíbrio e postura.

Os exercícios devem ser realizados de forma regular e aumentados gradualmente, respeitando os limites de cada pessoa. As grandes classes de exercícios são: alongamentos, fortalecimento muscular e condicionamento.

O alongamento se destina, principalmente, ao ganho/melhora da amplitude de movimento, preservando a mobilidade das articulações e flexibilidade dos músculos encurtados.

O fortalecimento muscular visa ao ganho de força e resistência, além de proporcionar estabilidade às articulações, reduzindo as dores por má postura e desalinhamento articular. O fortalecimento pode ser isométrico, onde há treino de força sem movimentar a articulação (não forçando a junta inflamada e dolorida) ou isotônico, onde a junta movimenta seguindo a contração muscular.

Os exercícios de condicionamento aeróbio são importantes para reduzir dor, melhorar humor, sono e melhorar qualidade de vida. Recomenda-se os de baixo impacto, como os exercícios aquáticos, natação, caminhada, andar de bicicleta, entre outros.

Faça uma avaliação com seu médico antes de iniciar um programa de exercícios e comece devagar. Uma sugestão é praticar exercícios regulares, em dias alternados, e aumentar o tempo, a intensidade e as repetições, gradualmente. Fazer alongamentos diariamente antes e após os exercícios aeróbios é uma boa medida. Você pode consultar um fisioterapeuta para estabelecer um programa personalizado e específico para melhorar sua postura, força muscular, flexibilidade e aptidão física.

De uma maneira geral, sobre a atividade física é importante saber:

  • Não ficar de repouso o tempo todo por causa da dor e do cansaço.
  • Exercícios somente nos finais de semana são prejudiciais.
  • É necessário realizar atividade física mesmo que tenha uma vida ativa.
  • Evitar esportes de competição e de contato, com alto impacto.
  • Nunca deve provocar ou piorar dor ou fadiga.
  • Nas academias de ginástica, pedir programa individualizado levando em consideração a prescrição médica.
  • Dosar sempre quantidade X qualidade!
  • Escolher mais as atividades físicas regulares e de baixo impacto.
  • É importante no tratamento de reumatismos e para a qualidade de vida.

Proteção articular

Para redistribuir as forças que deformam as articulações são orientadas modificações nos métodos de realizar das tarefas ou nas ferramentas e utensílios utilizados. A orientação ergonômica dada ao paciente depende de uma perfeita compreensão das alterações mecânicas, que resultam no estabelecimento dos padrões das deformidades.

Proteção articular é o processo de redução das tensões sobre as articulações envolvidas, durante as atividades funcionais. Ela pode ser compreendida como a correção de posturas ao realizar, organizar e coordenar os movimentos, e treino de força muscular. A finalidade da proteção articular é preservar diversas estruturas do sistema músculo-esquelético, sobretudo no paciente com doença crônica, evitando-se lesões repetitivas, recidivas e amplificação dolorosa ou agravamento de alterações pré-existentes.

As técnicas gerais de proteção articular são:

  • Usar grandes articulações ao invés das pequenas.
  • Evitar peso ou sobrecarga em locais doloridos.
  • Evitar a mesma posição por períodos prolongados ou posturas deformantes.
  • Modificar tarefas para diminuir esforço articular e manter boa postura.
  • Uso de órteses (talas) e palmilhas para repouso, posicionamento correto da articulação, melhorar capacidade funcional e prevenir deformidades.

Vacinação Geral

Algumas doenças reumáticas e as medicações usadas para seu tratamento interferem na imunidade do indivíduo. Como orientação geral, a SORES recomenda a todos os pacientes em uso de medicação:

- Leve seu cartão de vacina a todas as consultas médicas;

- Não aplique nenhuma vacina feita de agente vivo (ex: febre amarela, raiva, tríplice viral, varicela (catapora), rotavírus, poliomielite oral, BCG) até que seja autorizado pelo médico que o acompanha; 

- As vacinas feitas de microrganismos mortos estão liberadas;

- Crianças menores de 5 anos que vivam na mesma casa ou tenha contato diário prolongado com o paciente, não devem tomar a vacina VOP (poliomielite oral- gotinhas), mas sim a VIP (poliomielite injetável);

- É ideal que o paciente esteja imunizado contra gripe, pneumonia, meningite, hepatite B e hepatite A, sendo essas vacinas liberadas e aconselhadas;

- Na dúvida, sempre pergunte ao seu médico se está ou não liberado para vacinação


Endereço

AMES
Rua Francisco Rubim, 395,
Bento Ferreira - Vitória - ES,
CEP: 29050-680


Contatos

Telefones: (27) 3324-1333
E-Mail: contato@reumatologia-es.med.br

Redes Sociais

FacebookTwitter

© 2016, SORES | Todos os direitos reservados