DOENÇAS REUMÁTICAS E VACINAÇÃO

Com o pânico gerado após casos confirmados de febre amarela em nosso estado e, por ser uma doença prevenível através da vacinação, muitos consultórios médicos, unidades de saúde e clínicas estão lotados de pessoas com dúvidas sobre indicações e possíveis efeitos colaterais de vacinas. Mais atualmente, nova onda de dúvidas surge com o início da campanha de vacina da gripe. Em todos os casos, o questionamento mais comum é: Posso me vacinar? Para entendermos a resposta a esta simples pergunta, antes temos que compreender a forma como são feitas as vacinas.

As doenças preveníveis através da vacinação podem ser causadas por bactérias ou vírus. A intenção da vacina é aplicar na pessoa uma “parte” da bactéria/vírus e deixar que o próprio organismo do indivíduo fabrique seus anticorpos de defesa. Sendo assim, existe um prazo entre o dia de aplicação da vacina e o dia em que se está preparado para se defender da doença. No caso da febre amarela, esse prazo é de cerca de 10 dias e, por isso, a pessoa deve tomar a vacina pelo menos 10 dias antes de viajar para áreas de risco.

Algumas vacinas são fabricadas com pedaços do vírus/bactéria, uma imitação de parte ou com esses agentes mortos, porém outras contêm uma forma ainda viva, porém “enfraquecida”. E é aí que está a contraindicação das vacinas, para algumas pessoas.  

Quando um indivíduo possui sua imunidade debilitada, seja por alguma doença ou medicação, o vírus/bactéria vivo contido na vacina, mesmo que fraco, pode ter o poder de causar a própria doença que se desejava prevenir ou outras reações piores. Nesses casos, o paciente não deve receber a vacinação, exceto com autorização médica, tendo pesado o risco e o benefício.

Nos pacientes com doenças reumáticas autoimunes, é bastante comum o uso de medicações que causam o chamado efeito imunossupressor, ou seja, deixam a imunidade do indivíduo enfraquecida, gerando risco ao uso das vacinas feitas com microorganismos vivos. Já as vacinas feitas com agentes mortos ou suas partículas, não representam problema.

Sendo assim, todos os pacientes portadores de doenças reumáticas e que façam uso de medicação regular, devem procurar seu médico para receber orientações quanto à indicação de vacinas. A princípio, como regra geral e enquanto não for possível uma avaliação médica, a orientação básica é: vacina de microorganismo morto ou de partículas de vírus/bactérias – Pode tomar; vacina de microorganismo vivo atenuado – não pode tomar (exceto com laudo médico).

Damos como exemplos de “vacinas vivas”: Febre Amarela, BCG, Rotavírus, Poliomielite oral (gotinhas), Varicela (catapora), Dengue, Caxumba, Sarampo, Rubéola, Herpes Zoster.

Exemplos de “vacinas mortas”: Gripe, Pneumonia, Meningite, HPV, Penta (DTP, Hep B, Hib)

É importante lembrar que não há intervalo de tempo necessário entre a aplicação da vacina de febre amarela e da gripe. Sendo assim, elas podem ser feitas no mesmo dia ou em datas separadas. O importante é se prevenir sempre que possível!

Aline Fraga - Médica reumatologista pediátrica, presidente da Sociedade de Reumatologia do ES (Sores)

 


Clique aqui para Download!

Endereço

AMES
Rua Francisco Rubim, 395,
Bento Ferreira - Vitória - ES,
CEP: 29050-680


Contatos

Telefones: (27) 3324-1333
E-Mail: contato@reumatologia-es.med.br

Redes Sociais

FacebookTwitter

© 2016, SORES | Todos os direitos reservados